Este site armazena cookies no seu equipamento. Estes cookies são utilizados para melhorar a sua experiência de navegação e fornecer-lhe serviços mais personalizados. Pode saber mais sobre os cookies que utilizamos aqui

NOTÍCIAS 2016

INOVAÇÃO É FATOR CENTRAL NA MELHORIA DOS SERVIÇOS DE SAÚDE

2ª EDIÇÃO DO PRÉMIO INOVAÇÃO NOS
31-Maio-2016

A partilha de ideias e o acesso ao conhecimento científico são elementos essenciais à inovação na área da saúde, tendo como foco o utilizador. A conferência promovida pela NOS, um dos players mais relevantes em Inovação em Portugal, veio reforçar a necessidade de investir no desenvolvimento científico na área da saúde e na democratização da inovação, ao serviço dos cidadãos.

A «Inovação na Saúde» foi o tema da primeira conferência temática promovido no âmbito do Prémio Inovação NOS 2016. Perceber qual a relevância de inovar nesta área, quais os contributos para as empresas do setor da Saúde, e de que forma estão em causa novos desafios para os diferentes players – quer do ponto de vista científico quer operacional – são algumas das questões que marcaram a conferência realizada esta manhã em Lisboa. 

Duarte Cordeiro, vice-presidente da Câmara Municipal de Lisboa (CML), reforçou a relevância desta iniciativa pelo incentivo ao debate público sobre inovação num dos clusters mais estratégicos da autarquia: a Saúde. Lembrando que se trata de uma discussão “de desafios e de oportunidades”, importa investir “na capacidade de desenvolver e democratizar o desenvolvimento tecnológico na área da saúde”, nomeadamente através do apoio a projetos e iniciativas na área da saúde, com grande potencial de atratividade da capital. Neste sentido, há que desenvolver “políticas públicas que integrem a saúde como cluster estratégico”, para que as tecnologias e os desafios gerados pela inovação possam ser colocados ao serviço de quem vive a cidade de Lisboa.

Assumindo-se como agente impulsionador e dinamizador do universo nacional de Inovação, nomeadamente na área da Saúde, a NOS reuniu várias figuras de relevo nesta área em Portugal com o objetivo de discutir o impacto da evolução tecnológica e o seu contributo para a prestação de serviços de saúde.

Procurando estimular novas ideias e encontrar respostas para uma indústria mais sólida, preparada e avançada do ponto de vista tecnológico, a conferência permitiu evidenciar a importância de conhecer o que de melhor se faz nesta área, bem como o impacto da evolução tecnológica e científica, assente nas parcerias entre o tecido empresarial e académico.

Esta necessidade de estabelecer parcerias e sinergias que promovam a partilha e a colaboração entre investigadores e empreendedores foi também destacada por Manuel Heitor, ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, que encerrou a conferência, lembrando o papel fundamental dos utilizadores, numa era em que doentes e associações têm assumido relevância crescente. “Mostra como os utilizadores podem mudar produtos e serviços, motivando inovação. Falamos de um processo aberto, com uma multiplicidade de atores.”

O responsável sublinhou ainda a pertinência do tema da conferência, “de grande oportunidade em Portugal e no mundo”, e também o Prémio Inovação NOS, destacando o seu papel e sua continuidade: pelo estímulo à criatividade e por mostrar que “o conhecimento vale a pena”. Também por isso, sai reforçada a mensagem de que é fundamental estimular uma maior abertura do conhecimento clínico e cientifico a novos agentes, bem como a divulgação de práticas que contribuam para a democratização do acesso ao conhecimento.

Por sua vez, Salvador de Mello, presidente do Conselho de Administração da José de Mello Saúde (JMS), deu a conhecer o percurso de inovação do grupo, que se tem evidenciado no setor da saúde pelo pioneirismo no seu posicionamento, desenvolvimento e gestão. Estruturada num modelo de rede inovador, a JMS assume-se como um caso de sucesso de inovação na saúde: “A inovação não é só um valor, é também uma das competências que exigimos às nossas equipas”. Na sua intervenção deixou também um apelo às startups enquanto potenciais parceiros empresárias para desenvolver inovação no grupo: “Queremos ser desafiados”, reforçou.

Através desta iniciativa a NOS abre espaço ao debate sobre um dos grandes desafios da atualidade, refletindo o seu ADN de inovação, e justificando a importância do papel ativo das empresas para a dinamização e crescimento da economia nacional, que está subjacente ao Prémio Inovação NOS. 

João Ricardo Moreira, administrador da NOS Comunicações, teve ainda a oportunidade de reforçar as razões para as empresas se candidatarem à 2ª edição do Prémio Inovação NOS: notoriedade dos projetos, capacidade de contactos com outras empresas e entidades e um reconhecimento público do mérito dos projetos submetidos. “Mais do que um prémio, é uma aposta no futuro”, afirmou.

Esta foi a primeira de um conjunto de conferências temáticas que terão lugar em diferentes pontos do país, com o objetivo de evidenciar setores de atividade estratégicos para o tecido empresarial e para a economia nacional, e nos quais a inovação tem desempenhado um papel relevante e decisivo. Até outubro serão abordados novos temas como o Turismo, Indústria ou Transformação Digital.

As candidaturas ao Prémio Inovação NOS podem ser submetidas até 31 de julho em www.premioinovacaonos.pt 

Comunicado de imprensa